Endermoterapia

A endermoterapia, que também pode ser chamada de vacuoterapia, é uma técnica que pode ser considerada simples. Ela é reconhecida como uma aliada na redução de celulite, vasos e varizes e dentre as opções, pode ser reconhecida como uma das mais seguras, já que não oferece efeitos secundários.

Diferentemente das diversas opções que exigem o uso de bisturis e cortes que podem ocasionar futuras cicatrizes, a endermoterapia é a opção ideal para aqueles que fogem de cirurgias e cortes que necessitam de um período para recuperação. A técnica consiste no contato de um aparelho massageador que proporciona a sucção sobre a pele.

Como funciona?
Ela age sobre o sistema circulatório. A endermoterapia é realizada através do manuseio de um aparelho que contém 2 rolos para deslizar sem gerar atritos sobre a pele, favorecendo uma melhor sucção com a câmara de vácuo. O objetivo é formar uma prega cutânea devido à pressão negativa e vácuo entre os dois rolos contidos no aparelho. São realizadas massagens em diversos sentidos, o que estimula a circulação linfática.

Celulite:
A endermoterapia é muito procurada para reduzir os incômodos que as celulites oferecem às mulheres. Afirma-se que a submissão ao procedimento estético pode melhorar a aparência da pele, eliminar algumas gordurinhas localizadas e ainda combater as tão temidas celulites. A técnica também pode contribuir para o relaxamento muscular, colaborar com o sistema circulatório, aumentar a oxigenação dos tecidos e ainda favorece a eliminação de toxinas indesejáveis ao corpo.

Efeitos:
O procedimento estético também pode ser buscado para casos de pós-operatório de cirurgias plásticas, as quais objetivam redução de medidas, e que por isso acarretam consequências aos tecidos, como lipoaspirações e lipoesculturas. A endermoterapia é recomendada para reduzir edemas após operações, contribuir a eliminação de fibroses e ainda combater o estresse.

É dito que a endermoterapia pode demonstrar seus efeitos a partir da quarta sessão, mas são recomendadas no mínimo 10 e essas devem ser feitas pelo menos 3 vezes por semana. O tempo de duração pode variar de acordo com a região submetida, por isso, podemos destacar que as sessões variam de 30 a 55 minutos.

Contraindicações
É recomendado que pessoas com hipertensão, dermatoses de grande proporção, doenças infecciosas, reumatismo inflamatório, tumores e fragilidades capilares não se submetam ao procedimento estético. Gestantes e pessoas com varizes também devem evitar a endermoterapia. O ideal é sempre buscar uma avaliação referente ao caso. Diabéticos e cardiopatas também devem buscar uma aprovação de um profissional da saúde antes de se submeterem ao procedimento. Pessoas com obesidade mórbida devem conversar com médicos, pois apenas dessa forma poderá ser avaliado se o procedimento condiz com os objetivos ou não.

Endermoterapia