Microcorrentes

Combata a flacidez muscular do seu rosto!
A microcorrente é utilizada para melhorar a flacidez muscular e também elasticidade, textura e viço da pele. Também é capaz de estimular o realinhamento das fibras colágenas e potencializar a circulação linfática, portanto é indicada para tratamento de acne, estrias e linhas de expressão e para o pós-operatório de cirurgia plástica.

Indicações e benefícios de microcorrentes

• Cicatrizes;
• Queimaduras;
• Úlceras;
• Envelhecimento cutâneo;
• Estrias;
• Fibroedema gelóide (“celulite”);
• Hiperlipodistrofia (gordura localizada).

O que são microcorrentes?
Microcorrente é um dos tipos de tratamento de eletroestimulação que utiliza correntes de baixa intensidade e baixa frequência, podendo ser contínua ou alternada. Aumenta o metabolismo das células em até 500%, incluindo a produção de energia, síntese de proteínas, oxigenação e eliminação de resíduos, estimulando assim a drenagem linfática do local em que ela foi aplicada.

Porque fazer microcorrentes?
A sua aplicação no envelhecimento visa compensar a bioeletricidade perdida ao longo deste processo e atenuar os sinais do envelhecimento. As microcorrentes além de envolvidas no processo de regeneração, têm revelado outros efeitos como: aumento das trocas iônicas intracelulares; estimulação do sistema neuro-vegetativo com liberaação de catecolaminas e estimulação da lipólise e poder esclerolítico, proporcionado pela libertação de hidrogênio no pólo negativo.

Como é feita a microcorrente?
A microcorrente pode ser aplicada usando os eletrodos comuns, como borracha de silicone ou autoadesivos, ou com eletrodos em forma caneta. A principal característica desse tratamento é o uso de correntes com amplitude ajustada. A intensidade e a frequência variam de acordo com a finalidade do tratamento, mas sempre serão medidas em unidades micro. Por isso mesmo, não causam dores ou desconforto no paciente.

Duração do tratamento:
O número de sessões depende do objetivo do tratamento. Os efeitos das microcorrentes são acumulativos, ou seja, vão aparecendo no decorrer das sessões. Normalmente deve-se realizar no mínimo 10, com a periodicidade de até duas vezes na semana. A manutenção pode ser necessária, mas depende da necessidade do paciente. Ela pode ocorrer em um período mais curto (como para acne), ou uma manutenção mais demorada como para um rejuvenescimento.

Cuidados após a microcorrente:
Depois do tratamento, é importante fazer um home care com produtos à base de colágeno e elastina, de acordo com a orientação do profissional especialista.

Contraindicações da microcorrente:
Esse tratamento é contraindicado para pessoas com epilepsia, neoplasias, patologia circulatória, problemas cardíacos, próteses metálicas no local, infecção, dermatite, alergia à corrente, portadores de implantes metálicos. Também não deve ser feito diretamente sobre o eixo cardíaco e marca-passo.

Microcorrentes